Sorria e se emocione: sim, é um apartamento decorado

“É especial demais criar ambientes que refletem o melhor de cada um, viver com paixão e transformar nossos sonhos mais empolgantes em realidade. A criação deve melhorar a vida do maior número possível de pessoas, de modo ao mesmo tempo ousado, simples e funcional. A forma inevitavelmente acompanha a função, as traz também a emoção: fazer o coração vibrar é imprescindível. Se tudo chegar acompanhado de um desenho surpreendentemente simples, o resultado sempre rouba sorrisos distraídos – são os melhores”.

Painel de plantas: descubra se é natural ou artificial. Foto: André Monteiro

Painel de plantas: descubra se é natural ou artificial
Foto: André Monteiro

É desta forma que a arquiteta e urbanista Carla Arigón Felippi resume os conceitos empregados na decoração do apartamento que o público pode visitar no Castell di Sophia. E um exemplo disso está nos cuidados com o paisagismo ali aplicados.

“Muito em moda agora, o uso de plantas artificiais nos apartamentos consegue enganar os sentidos. Colocamos um painel vertical de vegetação na varanda, onde as plantas poderiam ser artificiais ou naturais. As artificiais são de tecnologia tão perfeita que as pessoas precisam tocar nelas para saber que são artificiais”, como conta o paisagista Erik Wisniewsky. Ele preferiu, neste empreendimento, usar vasos de plantas naturais na área externa e um painel de plantas permanentes, apropriadas a quem tem pouco tempo livre, pois não exigem tanta manutenção.

Antes de definir o que será colocado no imóvel do cliente, Erik explica que há uma conversa com os proprietários: “Precisamos ver se eles têm disponibilidade para cuidar de plantas ou se apenas querem ter vegetais decorativos. Nessa conversa inicial, procuramos saber também se a família tem animais ou crianças – cuidado necessário, pois certas plantas podem ser tóxicas para eles. O uso de rodízios nos vasos, para facilitar a movimentação, também não é recomendado nesses casos, pois a estabilidade do vaso é menor e existe risco de acidentes”.

Produtos para a cozinha têm grande variedade e todos usam ano inox 304, mais durável em cidades praianas. Foto: André Monteiro

Produtos para a cozinha têm grande variedade e todos usam ano inox 304, mais durável em cidades praianas
Foto: André Monteiro

Até a escolha final das espécies sai dessa conversa, explica ele: “As pessoas querem mais verde dentro de casa. Mesmo entre as que dão preferência a produtos naturais, as que não têm muita habilidade ou tempo para cuidar podem preferir espécies como lança-de-são-jorge e pacova, que retêm água no caule e pedem menos regas, às vezes bastando molhá-las uma vez por mês. Algumas plantas dão flores uma vez ao ano e no resto do tempo ficam só verdes, como as orquídeas, daí a preferência atual por plantas utilitárias – frutíferas e de temperos”.

“O resultado sempre rouba sorrisos distraídos – são os melhores”

Cozinha – Responsável pela instalação das cozinhas nos vários empreendimentos da Macuco, a EuroCuccina apresenta em cada um dos apartamentos produtos diferenciados, mas com o mesmo conceito e o design italiano, propositalmente para mostrar que existem soluções elegantes independentemente do projeto da cozinha, grande ou pequena, como lembra seu representante Leandro Santos. 

No Castel Di Sophia, o destaque é uma coifa de teto em aço inox 304, com design arrojado em formato cilíndrico e poder de sucção de 1.200 m³/hora, iluminação em LED e baixíssimo ruído.

Produtos para a cozinha têm grande variedade e todos usam ano inox 304, mais durável em cidades praianas. Foto: André Monteiro

Produtos para a cozinha têm grande variedade e todos usam ano inox 304, mais durável em cidades praianas
Foto: André Monteiro

Também nesse apartamento decorado, foi incluída uma cervejeira na varanda gourmet. O equipamento tem medidas que se encaixam nos mais diferentes projetos e capacidade para 96 latas de cerveja. O vidro frontal possui aquecimento para evitar a sudação comum em ambientes com maior umidade do ar. Para dias de festa, permite ajustar o termostato em até seis graus centígrados negativos, mantendo essa temperatura mesmo quando a porta é aberta e fechada diversas vezes.

Produtos assim são usados pelos mais renovados chefs de cuisine do mundo. São soluções profissionais para residência, com maior nível de qualidade dos materiais empregados – o que é importante no ambiente da Baixada Santista: é usado aço inox 304, que dá mais durabilidade em cidades praianas. Os clientes contam com grande variedade de produtos, o portifólio da empresa tem mais de 3.600 itens, em estoque, atendendo aos mais diferentes projetos. [CPM]

Visite o apartamento decorado: Rua Dr. Itapura de Miranda, 100, Vila Rica

Um Castell com a segurança e o conforto que os moradores querem

Situado na Avenida Coronel Joaquim Montenegro, 117, defronte às instalações centrais da Polícia Militar na região, o Castell Due Monti já chama a atenção pela segurança otimizada. Outro atrativo é a qualidade das instalações de lazer e itens de conforto – o sucesso foi tal que uma das últimas unidades disponíveis, o apartamento decorado que estava disponível para os visitantes, acabou de ser vendido com “porta fechada” (incluindo os itens de decoração ali instalados) – provando na prática a afirmação de que os apartamentos decorados da Macuco não são cenários, mas instalações plenamente funcionais.

São vários ambientes para receber amigos. Foto: André Monteiro

São vários ambientes para receber amigos
Foto: André Monteiro

Citada por clientes como uma das principais motivações de compra do imóvel nesse local e preocupação constante de todo mundo nos últimos anos, a segurança foi um dos temas principais já na primeira reunião dos condôminos, quando foi formada uma comissão de moradores para tratar deste assunto, criando-se um cadastro sempre atualizado de fornecedores e a identificação de seus funcionários, de forma a permitir melhor controle de acesso ao conjunto pelos prestadores de serviços e entregadores.

Outro tipo de segurança não foi descuidado, nem pela construtora Macuco (no planejamento da obra), nem pelos moradores (que se uniram para cuidar da zeladoria das instalações).

Aliados à certificação independente de qualidade construtiva – que seguiu os padrões da International Organization for Standardization (ISO) e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) -, estão os cuidados que a arquiteta Bruna Vaz De Marque Teixeira adotou, como o uso de pisos antiderrapantes na área das piscinas e um piso especial na área de recreação infantil (planejado conforme a altura dos brinquedos – antes mesmo da edição da norma técnica ABNT NBR 16071-3, que trataria dessa questão).

Além do apartamento, há dezenas de espaços de lazer, que formam um clube completo dentro do empreendimento. Foto: André Monteiro

Além do apartamento, há dezenas de espaços de lazer, que formam um clube completo dentro do empreendimento
Foto: André Monteiro

O planejamento da obra compreendeu ainda uma completa infraestrutura para os sistemas de vigilância, incluindo interfones em todas as salas de uso comum.

 São 2 mil m² de espaços de lazer, para todas as idades

Conforto – O empreendimento apresentou duas inovações em termos de lazer: o espaço pub/adega e uma área para exercícios de alongamento. Bruna explica que havia notado a tendência dos moradores em outros empreendimentos da Macuco de criarem eventos como Noite de Queijos e Vinhos e Clube de Uísque. “Então, criamos um espaço próprio para dez a quinze pessoas curtirem esse momento, separado da área gourmet mas podendo ser agregado a ela.

Uma residência planejada para ser confortável. Foto: André Monteiro

Uma residência planejada para ser confortável
Foto: André Monteiro

Já a área descoberta, para exercícios de alongamento, complementou outros espaços de lazer mais conhecidos, como as quadras de squash, streetball e poliesportiva, a academia e o boxe, os ambientes para massagem e sauna e o complexo de piscinas – inclusive piscina climatizada. “A ideia é que o morador tenha tudo lá dentro e não precise sair de casa para se divertir”, complementa.

São 2.000 m² de áreas de lazer no Castell Due Monti, somando mais de 30 espaços totalmente equipados e decorados, para todas as idades – todas mesmo: desde o Playbaby, o Recanto da Mãe, a Brinquedoteca e a Ciclovia, passando pelo Salão de Festas e Espaço Grill, até opções inusitadas como Cinema, Cyber Space e Garage Band, afora um salão de beleza completo.

E como também destacam os moradores, além de toda essa estrutura própria, a localização do imóvel mais uma vez dá a sua contribuição: o Castell Due Monti está situado a duas quadras da praia, que por si só é uma atração a mais, com seu panorama, seus jardins, a ciclovia, opções de lazer e para caminhadas e exercícios ao ar livre e – ali pertinho – o Aquário Municipal, que acaba de ser reaberto, após ampla reforma, e continua encantando os visitantes. [CPM]

Aqui, a felicidade faz parte do projeto

Criado pela arquiteta e urbanista Carla Arigón Felippi, o conceito de Arquitetura da Felicidade vem sendo aplicado na decoração de apartamentos como o do Castell di Villa Real. O objetivo é fazer com que as pessoas se sintam acolhidas, em casa: “O que as pessoas buscam em uma residência? Que expectativas de conforto, bem-estar e felicidade devem ser levadas em conta na composição de cada ambiente? As respostas estão nesse conceito, que busca traduzir na casa de cada família o seu jeito de viver e a sua história”.

Tons amadeirados e iluminação delicada remetem à arquitetura do aconchego, da felicidade. Foto: André Monteiro

Tons amadeirados e iluminação delicada remetem à arquitetura do aconchego, da felicidade
Foto: André Monteiro

O apartamento decorado foi todo planejado para uma família moderna, com arquitetura contemporânea, usando elementos naturais como madeira e tons amadeirados, linho, fibras, que remetem à Arquitetura da Felicidade, ao aconchego.

“Tomamos cuidado com a iluminação, que foi pensada para o uso de cada espaço, então é muito delicada, muito pontuada. A varanda gourmet, que tem metragem generosa, recebeu paisagismo, em ambientes de estar. O quarto do casal é todo delicado, com armários e detalhes de capitonê, muito contemporâneos. Dá uma sensação de gostoso”.

Bem projetado, um som limpo e claro pode ser escutado baixinho sem que se perca nada. Foto: André Monteiro

Bem projetado, um som limpo e claro pode ser escutado baixinho sem que se perca nada
Foto: André Monteiro

 “A iluminação é muito delicada, muito pontuada. Dá uma sensação de gostoso”

Novos produtos – Para atender às novas preferências do público, diversas novidades surgidas no mercado são apresentadas nos apartamentos decorados. Com a introdução das áreas gourmet, tem aumentado a procura por itens que favoreçam as reuniões com amigos e o desfrute das comodidades residenciais.

Assim, além de adegas climatizadas (com até três zonas de temperatura – próprias para vinhos branco, tinto e espumante – e proteção contra raios ultravioleta), cervejeiras de diferentes capacidades e fábricas de gelo (ice-makers), estão disponíveis churrasqueiras barbecue, como lembra Leandro Santos, da EuroCuccina. Aliás, a loja também dispõe de máquinas de lavar roupa e secadoras a gás, independentes, da marca Speed Queen, em cor branca ou inox, iguais às usadas pelas principais redes de hotelaria, em condomínios fechados e empresas especializadas em lavagem de roupas.

Para caprichar numa caldeirada, numa paella ou num filé minhon, as pessoas podem escolher entre inúmeros modelos de cooktops, todos com tripla chama, aço inox 304 e vidro temperado, 4 mil watts de potência, válvula de segurança stop-gás e queimadores Defedi e Sabaf.

Os lava-louças possuem módulos para talheres e ajuste de pressão de água para cristais, entre até 14 serviços diferentes. Esterilizam e higienizam com água quente, usando menos líquido que se as peças fossem lavadas na torneira; têm capacidade para mais peças e função meia-carga (não é mais necessário lotar o equipamento).

Tons amadeirados e iluminação delicada remetem à arquitetura do aconchego, da felicidade. Foto: André Monteiro

Tons amadeirados e iluminação delicada remetem à arquitetura do aconchego, da felicidade
Foto: André Monteiro

Som e vídeo para ser feliz – “Vi casais mudarem muito sua qualidade de vida, mudando de comportamento e se tornando mais felizes, ao reaprenderem a ouvir boa música em casa”, conta Carlos Augusto dos Santos, diretor da ACS Home Theater. Para ele, a música traz um estado de tranquilidade, de felicidade, e um equipamento corretamente instalado – não precisa ser dos mais caros – faz uma grande diferença. Música é terapia. Muda o próprio conceito de viver”.

“É a diferença de ouvir a gravação de uma música num celular ou a orquestra tocando essa música numa sala de concertos. Muitos nem imaginam o tamanho dessa diferença. E o som nem precisa ser alto, incomodando os vizinhos, pelo contrário: uma música de fundo pode animar uma conversa, sem atrapalhar. Há até famílias que convidam os amigos para um jantar dançante em casa, desfrutando dos equipamentos de som e vídeo. Isso é qualidade de vida, diz o especialista.

Som é propagação e rebatimento. Para proporcionar ambientes prazerosos, precisamos dosar com elementos que absorvam sons indesejados. E essa é uma das questões que o projetista de um ambiente considera: o som que sai das caixas vai batendo nas paredes e formando pequenos ecos, às vezes anulando frequências sonoras ou provocando sensações incômodas na audição. Para evitar isso, são usados materiais que absorvam essa reverberação. Assim, um som limpo, mais claro, pode ser escutado baixinho sem que se perca nada. Os vizinhos agradecem. [CPM]

Visite o apartamento decorado: Rua Voluntários Santistas, 17, Vila Rica

A generosa varanda gourmet é um novo requisito de conforto e prazer nas residências. Foto: André Monteiro

A generosa varanda gourmet é um novo requisito de conforto e prazer nas residências
Foto: André Monteiro

 

Um Castell fincado bem no centro de tudo

Se o Gonzaga é reconhecido como o centro dos acontecimentos sociais e culturais de Santos, o novo empreendimento da Macuco veio para ocupar o núcleo vital desse centro. É uma oportunidade rara, que merece ser bem avaliada, não apenas quanto à localização altamente privilegiada, como em relação a todos os itens de conforto e segurança que serão disponibilizados para os moradores.

Quando a construtora criou o Castell Due Piazze, inovando em áreas de lazer e outros detalhes de infraestrutura, muitos dos compradores de imóveis já deixaram reservados apartamentos em futuros empreendimentos da Macuco, levando em conta o cumprimento dos quesitos de prazo de entrega (geralmente antecipado) e qualidade (acima das normas de segurança de edificações).

O grande interesse – a comercialização dos imóveis no Due Piazze já foi encerrada – motivou a busca de outro local próximo em que pudessem ser oferecidas condições ainda melhores de qualidade. E, de fato, o Castell Di Gonzaga representa um aperfeiçoamento do empreendimento-irmão, usando a experiência adquirida em outras construções para a inclusão de novos detalhes de conforto.

 Gosta de pôquer? Não é blefe, tem um espaço de lazer dedicado aos apreciadores desse jogo


Novidade
– Um exemplo? Em resposta às solicitações de muitos clientes, foi planejada a criação de uma sala de pôquer – jogo de cartas que em 2010 passou a ser considerado um esporte mental pela International Mind Sports Association (IMSA).

E este é mais um entre os 58 espaços de lazer e conveniência previstos, distribuídos numa área de 2.900 m². Simplesmente o dobro da média de opções encontradas em outros empreendimentos imobiliários na região. Vale sempre notar que mesmo opções mais conhecidas no mercado imobiliário, em termos de espaços de lazer, foram repaginadas, proporcionando uma estrutura de lazer aprimorada em áreas de piscinas, salões, churrasqueira e grill, por exemplo.

Empreendimento tem as instalações e o conforto de um clube sofisticado. Imagem: projeto

Empreendimento tem as instalações e o conforto de um clube sofisticado
Imagem: projeto

Privilégio – Assim, os futuros residentes no Castell Di Gonzaga terão literalmente um clube completo dentro de casa, como se já não bastassem os atrativos de um bairro afamado pelos seus cinemas, restaurantes, choperias, lanchonetes e clubes, centros comerciais, pontos de encontro de intelectuais, artistas, antigos amigos e jovens de todas as tribos…

Sem falar na praia, que há um século e meio atraiu as atenções dos chamados “barões do café” e outros empreendedores nacionais, quando o local ainda era uma área deserta perto do desaguadouro de um braço dos chamados “Dois Rios” e ponto final de uma linha de bondes, com apenas um boteco criado pelo “seu” Gonzaga junto ao mar.

A história contaria que os primeiros aviadores pousariam em suas areias, e os luxuosos hotéis e balneários ali construídos seriam frequentados por reis e presidentes, além de artistas de porte internacional.

...e uma localização considerada de sonho. Imagem: projeto

…e uma localização considerada de sonho
Imagem: projeto

 Ancorado na rocha

O Castell Di Gonzaga está perto da areia da praia, mas solidamente ancorado à rocha do subsolo, a cerca de 60 metros de profundidade, garantindo que o edifício não sofrerá inclinações ou abalos em sua estrutura.

O detalhe é que o grupo Macuco foi o pioneiro em Santos no uso de técnicas que depois se tornariam obrigatórias na construção civil nacional, como a Prova de Carga Estática, que consiste em aplicar a cada estaca o dobro do peso previsto normalmente para ela.

Esse é um dos muitos cuidados invisíveis para o público que permitem aos profissionais da Macuco garantir aos clientes a perfeita segurança na qualidade estrutural dos seus empreendimentos. [CPM]

Mesmo ideias simples fazem toda a diferença

A experiência dos profissionais, o conhecimento e contato constante com novos materiais e produtos, com diferentes texturas, tendências e novidades em conceitos, proporcionado pela participação em congressos e feiras nacionais e estrangeiras de decoração permite não só apresentar soluções simples e funcionais, mas também ajuda a economizar na hora de os visitantes decorarem seus apartamentos, sem os prejuízos causados pelo uso de materiais inapropriados ou pouco funcionais.

Cozinhas com estilo italiano são mais práticas, seguras e funcionais. Foto: André Monteiro

Cozinhas com estilo italiano são mais práticas, seguras e funcionais
Foto: André Monteiro

Assim, sempre vale muito a pena visitar os apartamentos decorados que o Grupo Macuco vem instalando em seus empreendimentos, assinados pela arquiteta e urbanista Carla Arigón Felippi e com soluções que, mesmo surpreendentemente simples em muitos casos, fazem toda a diferença no visual e na funcionalidade dos ambientes.

Roberto Santana e Leandro Santos, da EuroCuccina, citam que só em coifas existem mais de 200 modelos em termos de formatos, cores e capacidades, podendo até ser embutidas no teto, com timer, painel sensível ao toque e iluminação LED. São mais eficientes (mais sucção com menos gasto de energia) e têm menos ruído (até 53 dB, contra os antigos mais de 75 dB), pois possuem motor blindado.

Os fornos micro-ondas podem ser embutidos e contam com blindagem nas paredes e portas, de modo a não esquentar a cozinha e proteger contra queimaduras, dando também maior segurança em relação às crianças. Podem incluir grill elétrico e todas as funções do velho forninho de balcão, algo importante em cozinhas menores. Novos sistemas de emissão das ondas dispensam o prato giratório e um bom equipamento de 2.000 W consome 1/3 da energia gasta em um chuveiro simples.

Cozinhas com estilo italiano são mais práticas, seguras e funcionais. Foto: André Monteiro

Cozinhas com estilo italiano são mais práticas, seguras e funcionais
Foto: André Monteiro

Muito procuradas são as gavetas térmicas, com abertura sensível ao toque e a capacidade de conservar temperatura interna de 30 a 75º C: descongelam alimentos ou os mantêm aquecidos até servir, sem ressecá-los, bem como conservam pratos e talheres na temperatura ideal.

 Escolher bem as plantas para o apartamento é importante

Plantas adequadas – Um exemplo de como certos cuidados simples reduzem custos está no paisagismo, como relata o especialista Erik Wisniewsky. Como a região está sujeita a picos de calor, com mais de 40º C, depois baixando para 20º C ou menos, nem toda planta se desenvolve bem na Baixada Santista – caso das petúnias e hortênsias, próprias para climas mais amenos.

Vegetação deve ser cuidadosamente escolhida. Foto: André Monteiro

Vegetação deve ser cuidadosamente escolhida
Foto: André Monteiro

“Na primeira visita, verificamos a insolação, se há sol suficiente, para escolhermos o tipo de planta, de sol ou de sombra. Se na sala entra bastante luz solar, podemos colocar bromélias, mais resistentes. Para ambientes mais escuros, no interior do apartamento, poderíamos usar bromélias verdes, mais adequadas nesses casos”, diz Erik.

Na visita ao apartamento a ser decorado, além da insolação é verificada a temperatura média e a umidade do ar, para definir que plantas serão mais adequadas. Os chamados cactos rock-garden são muito procurados para jardins com pedras, em áreas externas e ambientes comerciais, por não exigirem muitos cuidados. Podem até ser usados em varandas, mas não são adequados para salas, pois são plantas de sol.

Já a mudança das lâmpadas incandescentes para as de LED abriu novas possibilidades em decoração: antes era preciso afastar as folhas das lâmpadas, agora a iluminação fria não queima as plantas. No futuro, talvez seja possível até colocar plantas de sol em áreas internas, com iluminação imitando a natural para permitir a fotossíntese, mas ainda não há produtos bons para isso no mercado. [CPM]

Vegetação deve ser adequada ao clima regional e à insolação do ambiente. Foto: André Monteiro

Vegetação deve ser adequada ao clima regional e à insolação do ambiente
Foto: André Monteiro

Visite o apartamento decorado: Avenida Bernardino de Campos, 625, Gonzaga

Visite a Rússia, em tempos de Copa do Mundo

LogoDicasDeViagemA escolha é do viajante: conhecer a Rússia com as facilidades adicionais preparadas para os turistas que chegam com a Copa do Mundo – mas também com os preços inflacionados pelo afluxo incomum de turistas, as restrições de segurança e as superlotações nos transportes e hotéis – ou fazer a visita fora do campeonato e mesmo do roteiro dos jogos, com maior tranquilidade para desfrutar das belezas desse país.

De qualquer forma, esta viagem requer planejamento maior, para lidar com as diferenças culturais e a barreira do idioma (mesmo o inglês nem sempre ajuda!), e ainda garantir todas as reservas necessárias. A Copa é de 14 de junho a 15 de julho: consulte seu agente de viagens!

Monumento no quilômetro 9.288, o final da Ferrovia Transiberiana, em Vladivostok

Monumento no quilômetro 9.288, o final da Ferrovia Transiberiana, em Vladivostok
Foto: Toen96/Wikipédia

Desde 2010 não é preciso visto para os brasileiros entrarem na Rússia. Mas não há voos diretos, é preciso fazer ao menos uma escala nos Estados Unidos ou na Europa, conforme a companhia aérea. Uma vez em Moscou, lembre-se de que a Rússia é um país de dimensões continentais, como o Brasil. Mesmo para visitar as cidades da Copa, a partir da capital, a jornada é de no mínimo 70 minutos de avião ou quatro horas de trem (até Nijin Novgorod), podendo chegar a 2h30 de avião ou 27 horas de trem, para Iecaterimburgo. Avião e trem são as melhores opções, pois de carro os tempos são geralmente semelhantes ou até mais que o dobro do transporte ferroviário (para São Petersburgo são 1h15 de avião, 4 horas de trem ou 9h30 por rodovia).

Monte Elbrus, ponto mais alto da Rússia e da Europa, com 5.642 m acima do nível do mar

Monte Elbrus, ponto mais alto da Rússia e da Europa, com 5.642 m acima do nível do mar
Foto: Alex Svirkin /Wikipédia

O trânsito caótico, a necessidade de traduzir a carteira de motorista para o russo, a necessidade de ver se o veículo alugado pode sair da cidade, problemas eventuais com a polícia rodoviária, são outros desestímulos à opção rodoviária. Se ainda assim quiser, saiba que os sinais de trânsito são geralmente universais e a mão de direção é a mesma que no Brasil, a legislação é parecida. Mas o sinal de “Pare” pode ser apenas uma placa horizontal branca e texto em alfabeto cirílico: СТОП.

Templo de Todas as Religiões, na cidade multicultural de Cazã, no Tartaristão

Templo de Todas as Religiões, na cidade multicultural de Cazã, no Tartaristão
Foto: Maarten/Wikipédia

Nas principais cidades, metrô, ônibus e bondes elétricos são boas opções. Os táxis oficiais são chamados por aplicativos de celular, bem como os alternativos, existindo também quem complemente a renda com transporte avulso de passageiros (basta fazer sinal na rua e esperar que alguém atenda). Como em qualquer lugar, tenha cuidado. Não há taxímetro e a barreira idiomática dificulta prever o valor do transporte. Ah: comprar um cartão de telefonia com chip russo reduz os custos com telefone e internet e permite o uso de aplicativos locais com mensagens via SMS.

Mãe Pátria, a mais alta estátua feminina no mundo, em Volgogrado

Mãe Pátria, a mais alta estátua feminina no mundo, em Volgogrado
Foto: www.volganet.ru

Vodka, sim. Mas também Kvass, Baikal, Tarkhun…

Nem só de vodka… – Se a bebida russa mais conhecida no mundo é a vodka, não é a única. São populares também a cerveja do Báltico e o Kvass, refrigerante milenar russo à base de fermento, centeio, açúcar e mel, com acréscimos como beterraba, uvas-passas, hortelã ou maçã com canela. O grau de torrefação do centeio define o sabor acervejado e doce, que pode lembrar caramelo, chocolate, tostado, sidra, com baixo teor alcoólico (0,5 a 2,5%). Só pode ser armazenada por duas semanas, o que a torna uma bebida de consumo imediato (embora seja encontrada em produção paulistana, com sabores novos como o de melão com capim limão!). Conheça ainda os refrigerantes Tarkhun (feito a partir da erva estragão) e Baikal, uma tubaína siberiana, menos doce, que virou moda como a substituta da Coca-Cola.

Vista aérea da ilha Vasilievsky, em São Petersburgo

Vista aérea da ilha Vasilievsky, em São Petersburgo
Foto: A. Savin/Wikipédia

A culinária russa é bem variada (embora existam bons restaurantes internacionais, italianos e japoneses). Desde o espetinho de carne Shashlyk à salada Olivier (de batata, como no Brasil), citam-se a sopa Borscht de tomate e beterraba, a sopa Solyanka de carnes ou peixes com repolho e creme smetana, as panquequinhas Blini, o Pelmeni (espécie de ravióli, bem mais recheado), a panqueca Draniki de batata e cebola, o frango à Kiev (empanado, frito ou assado) … e o Stroganov (que o leitor já reconheceu como estrogonofe…).

Vulcão Koryaksky e a cidade de Petropavlovsk, em Kamchatka, nas margens do Oceano Pacífico

Vulcão Koryaksky e a cidade de Petropavlovsk, em Kamchatka, nas margens do Oceano Pacífico
Foto: Jonathan R. Cilley-Coast Guard/Wikipédia

Lembrada pelos invernos siberianos (-67ºC), a Rússia também tem climas amenos, especialmente nos meses de verão da Copa, quando chega a +22ºC em Moscou e São Petersburgo. Estes são também os meses mais chuvosos (até 90 mm nas duas cidades ou 120 mm em Vladivostok). [CPM]

Centro Internacional de Negócios, em Moscou

Centro Internacional de Negócios, em Moscou
Foto: Rudolf Simon/Wikipédia

Rio Vasyugan, no planalto da Sibéria Ocidental, em Tomsk

Rio Vasyugan, no planalto da Sibéria Ocidental, em Tomsk
Foto: Vadim Andrianov/Wikipédia

Mar Negro em Anapa, no Krai de Krasnodar

Mar Negro em Anapa, no Krai de Krasnodar
Foto: Alexey Komarov/Wikipédia

Lago Baikal, o maior do mundo em volume de água, idade e profundidade

Lago Baikal, o maior do mundo em volume de água, idade e profundidade
Foto: Rubinbot/Wikipédia

Calçada Para Todos padroniza reforma e manutenção de passeios

As calçadas devem assegurar bem-estar para a população, com arborização, iluminação e mobiliário adequado, em perfeita harmonia com o visual da cidade. E precisam reunir princípios de acessibilidade e segurança, garantindo a mobilidade a todos.

Esse é o objetivo da Lei Complementar 980, publicada no Diário Oficial de 18/9/2017, com base em projeto da Prefeitura, após consulta pública e a órgãos como o Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Santos (Condefi).

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas
Foto: Francisco Arrais – Secor/PMS

Não é necessária a implantação imediata dessas regras nos passeios existentes. Mas, quem fizer manutenção ou adequação em mais de 30% da área de sua calçada deve segui-las, sob pena de multas entre R$ 500,00 e R$ 2.000,00, cobradas em dobro por reincidência.

 Adaptação, só quando precisar fazer ou reformar a calçada

Setorização – Este ordenamento prevê basicamente duas faixas e a esquina. A faixa livre é destinada exclusivamente à circulação de pessoas e, por isso, deve ser mantida livre de obstáculos e interferências, com superfície regular, firme e contínua. Correspondente a 2/3 da calçada, junto ao alinhamento dos imóveis.

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas
Foto: Francisco Arrais – Secor/PMS

A faixa de serviço tem que estar localizada ao lado da guia/meio fio, servindo para acomodar equipamentos e mobiliários urbanos. Pode ser aproveitada para garantir a permeabilidade do solo, com instalação de pisos drenantes ou canteiros verdes, e corresponde a 1/3 da calçada.

Já a esquina é reservada à passagem de pessoas para as faixas de pedestres, precisando estar livre de interferências até cinco metros, a partir do alinhamento da via transversal. Deve oferecer boa visibilidade dos veículos que circulam, para segurança de pedestres e condutores.

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas
Foto: Francisco Arrais – Secor/PMS

Responsabilização – A Prefeitura deve executar e manter passeios dos equipamentos públicos, praças, parques, orla da praia, rampas de acessibilidade, canteiros centrais e pontos ou paradas de ônibus. E fazer manutenção das calçadas em áreas revitalizadas mediante projeto específico (de interesse turístico, histórico, cultural ou comercial).

Cabe ao proprietário ou inquilino do imóvel conservar a calçada e realizar reparos, inclusive nas rampas de acessibilidade implantadas pela Prefeitura, quando for o responsável pela avaria. Além de comunicar à Ouvidoria dano provocado por empresa de serviço público, para que a Prefeitura acione a concessionária a efetuar o conserto. [CPM]

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas

São duas faixas (circulação e serviço/drenagem) e as esquinas
Foto: Francisco Arrais – Secor/PMS

LogoReceitasFamilia-WebFogaça da Vovó Elvira:

Mais uma deliciosa receita caseira, simples de preparar, mas que faz grande sucesso.

Fogaça da Vovó Elvira

Fogaça da Vovó Elvira
Imagem: divulgação

Ingredientes:

2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de maizena
1 colher de fermento
1 ovo
1 pitada de sal
1 tablete de margarina para culinária
Leite para dar ponto

Recheio:
Queijo mussarela
Presunto
Azeitona em fatias
Cebola
Ovos cozidos

Preparo:

Fazer a massa em um tampo de mármore. Polvilhar farinha e ir misturando a massa, acrescentar o leite aos poucos, até a massa não grudar mais nas mãos.

Depois de aberta a massa, rechear como um rocambole e enrolar. Colocar em uma assadeira untada e passar uma gema de ovo para dourar. Assar em forno médio até ficar douradinha.

Os leitores podem enviar suas receitas de família, com foto da pessoa e autorização para publicação, para anacarolina@construtoramacuco.com.br

Fogaça da Vovó Elvira

Fogaça da Vovó Elvira
Imagem: divulgação

Vinhos da Bourgogne (Borgonha) – 5

LogoEnologiaRicardo R. Cardozo (*)

Ricardo R. Cardozo

Ricardo R. Cardozo
Foto: divulgação

Olá, amigo apreciador e entusiasta dos vinhos de qualidade. Vamos continuar nossa pequena viagem aos vinhedos da Bourgogne (Borgonha), que desde julho de 2015 tem seus climats inscritos no Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, dada a importância e singularidade destes vinhedos para os amantes do vinho e, principalmente, para preservação da cultura da região e de um savoir faire também únicos.

Na última edição, iniciamos nossa viagem partindo de Chablis, que é a AOC mais ao norte e mais próxima de Paris e continuamos agora, rumo ao sul, para a Côte d’Or, que podemos traduzir livremente por Colinas de Ouro.

Mapa de Côte de Nuits e Hautes Côtes de Nuits

Mapa de Côte de Nuits e Hautes Côtes de Nuits
Imagem: https://www.vins-bourgogne.fr

Não é à toa que esta região tem este nome. Coincidência ou não, é lá que estão os maiores tesouros da Bourgogne (Borgonha), traduzidos em vinhos de qualidade excepcional, rótulos lendários e uma cultura ímpar.

Esta região se inicia em Dijon, capital da Borgonha, e se estende ao sul, passando por Beaune até o vilarejo de Santenay, a última AOC desta região.

A Côte d’Or é dividida em duas sub-regiões, a Côte de Nuit ao norte e a Côte de Beaune ao sul.

Vinhedos das Côtes de Nuits, em Comblanchien

Vinhedos das Côtes de Nuits, em Comblanchien
Foto: BIVB / www.armellephotographe.com

A Côte de Nuits tem como ponto central a vila de Nuits-Sanit-Georges. Possui uma extensão de pouco mais de 20 km e por vezes somente algumas centenas de metros de largura.

A maior parte de sua produção é de vinhos tintos e, graças à combinação de relevo, solo e microclimas, pode ser considerada como o paraíso da uva pinot noir. Em algumas publicações podemos mesmo achar referências a esta excepcional região como a Champs Elysées da Borgonha, dada a qualidade e a quantidade de apelações classificadas como Grand Cru. Os brancos, originários da Chardonay, também são produzidos em algumas denominações, mas com uma produção muito pequena.Rótulos de vinhos da região

Rótulos de vinhos da região

Rótulos de vinhos da região
Imagem: divulgação

A porção mais elevada desta região, na faixa de 300 a 400 m acima do nível do mar, recebe o nome de Hautes de Côtes de Nuits e tem uma produção mais equilibrada em termos de tintos e brancos, que – além da chardonay – são produzidos também a partir da variedade aligoté.

Os tintos desta região se harmonizam muito bem com todos os cortes bovinos e todos os tipos de preparação. Alguns mais delicados vão muito bem com carnes mais leves, como vitela e aves

Infelizmente, para nós (pelo menos para mim) a maioria destes grandes vinhos é quase que impossível de se degustar, devido ao valor altíssimo de mercado. Lendas como Romanée-Conti, La Tâche, Chambetain, chegam a custar, dependendo da safra, alguns milhares de reais. Mas sonhar nunca é demais e a esperança de um dia poder degustar um destes será sempre a última a morrer, bem depois de mim.

Paisagem em Auxey-Duresses, na Côte de Beaune

Paisagem em Auxey-Duresses, na Côte de Beaune
Foto: BIVB / Aurélien IBANEZ

Relação das apelações da Côtes de Nuits:

Grands Crus: Chambertin, Chambertin-Clos de Bèze, Chapelle-Chambertin, Griotte-Chambertin, Latricières-Chambertin, Mazis-Chambertin, Mazoyères-Chambertin, Ruchottes-Chambertin, Clos de la Roche, Clos de Tart, Clos Saint-Denis, Clos de Lambrays, Clos de Vougeot, Échezeaux, Grands Échezeaux, La Grande Rue, Richebourg, La Romanée, Romanée-Conti, Romanée-Saint-Vivant, La Tâche, Musigny, Bonnes Marres, Charmes Chambertin.

Villages (sendo algumas denominações classificadas em Premiére Cru): Chambolle-Musigny, Côte de Nuits-Villages, Fixin, Gevrey-Chambertin, Marsannay, Marsannay rosé, Morey-Saint-Denis, Nuits-Saint-Georges, Vosne-Romanée, Vougeot.

(*) Ricardo R. Cardozo é diretor de Degustações na Associação Brasileira de Sommeliers (ABS – Litoral Paulista) – www.abslitoral.com.br

Santos quer ampliar a conscientização sobre as árvores da cidade

“Toda árvore é bem-vinda, desde que plantada em lugar adequado, com planejamento, e se obtenha ganho ambiental, não engano ambiental”. Este é o mote que o secretário municipal de Serviços Públicos de Santos, o engenheiro Carlos Alberto Tavares Russo, usou para iniciar uma conversa sobre os cuidados que a população precisa ter com a cobertura vegetal da cidade e as mudanças que estão sendo ou precisam ser feitas.

Ele explica que se não existirem cuidados na escolha dos espécimes e no seu plantio, ocorre o que chama de engano ambiental – em três, dez anos, as pessoas verão o aparente ganho se transformar em prejuízo, com custos para a cidade, como a necessidade de a árvore ser removida.

É o que deve acontecer na Avenida Pedro Lessa, onde pessoas bem intencionadas plantaram árvores da espécie ficus, que em breve estarão arrebentando calçadas e até o asfalto da rua – daí ser necessário removê-las. O secretário ressalva que o problema não é a árvore em si, mas sua adequação ao local: “O ficus precisa de grandes espaços abertos, como o que está corretamente plantado defronte à Basílica do Embaré”.

Outro problema que tende a causar celeuma na cidade é o de cerca de 20 jamboleiros condenados, que precisarão ser removidos da Av. Washington Luiz e da Avenida Barão de Penedo. Dois caíram: são árvores senis e prejudicadas pela poluição, por isso ficam suscetíveis ao ataque de cupins e outros insetos. São espécies exóticas, por sua origem asiática.

Em seu lugar, os técnicos estudam colocar árvores nativas da Mata Atlântica, mais apropriadas às condições urbanas. Uma possibilidade é o oiti, que fica grande como as pessoas estão acostumadas e cuja raiz não quebra as calçadas. Outra opção é o guanandi, também nativo da região. O ipê tem queda das folhas no inverno, causando talvez estranheza em alguns. Outras árvores problemáticas em Santos são os flamboyants, as saboneteiras, os chapéus-de-sol e até os ingazeiros, que prejudicam as calçadas, redes de água e esgotos e a fiação elétrica: “Somos vítimas agora de erros de 60 anos atrás”.

Parasitas, cal e vandalismo prejudicam a arborização urbana 

Pragas – O técnico Daniel Augusto Machado observa a confusão que as pessoas fazem entre as epífitas – que não prejudicam as árvores, apenas ficam apoiadas sobre elas – e as plantas parasitas, que sugam a seiva das árvores em que se instalam, matando-as. Uma das parasitas é a erva-de-passarinho, conhecida por propriedades benéficas ao ser preparada como chá, mas que prejudica a cobertura vegetal. Suas sementes são levadas pelos pássaros (daí o nome) e depositadas nos galhos, onde se instalam e passam a atacar a árvore.

Uma lenda urbana é a da pintura dos troncos com cal (proibida): não ajuda em nada e ainda prejudica, pois a árvore também respira pelo tronco e a pintura diminui a porosidade da casca.

Outro erro, agora apontado pelo colega João Luiz Cirilo Fernandez, é a construção de pequenas muretas ao redor das árvores: isso é proibido porque as muretas impedem que a planta aproveite a água da chuva caída no passeio.

Praga pior é o vandalismo, que destrói a vegetação, a exemplo do ocorrido na Praça Lions, onde as plantas colocadas ao redor do Cristo de areia foram roubadas na noite seguinte.

Leis – Cirilo apela à conscientização do público e destaca o trabalho que vem sendo feito para readequar a cobertura vegetal da cidade. Em defesa da arborização, já existe a lei 973/2017, que facilita à iniciativa particular ações como a poda de árvores (no máximo, de metade de sua copa), o replantio e até a retirada (mediante compensação: 10 novas árvores para cada uma que for retirada, e isto se esta for irrecuperável ou estiver defronte a uma entrada de veículos, por exemplo).

Mesmo assim, em todos os casos, é necessária a supervisão de engenheiros agrônomos cadastrados na Prefeitura e que esta autorize o procedimento. E as árvores devem ser preservadas ao máximo nos locais das novas construções.

Santos precisa adequar melhor as espécies vegetais usadas às suas necessidades urbanas

Santos precisa adequar melhor as espécies vegetais usadas às suas necessidades urbanas
Foto: Francisco Arrais/Secor-PMS

Concessionárias – Um problema que deve em breve ser resolvido é o da concessionária de eletricidade podar árvores com cortes em “V” para que os fios passem pelo meio. Compensações ambientais serão aplicadas para que se busque um novo consenso sobre esses procedimentos.

Aliás, não adianta apenas uma empresa cumprir as compensações definidas num Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), se não houver acompanhamento especializado, pois o trabalho inadequado será perdido ou terá que ser refeito.

É com esse cuidado que a cidade pode, por exemplo, comemorar a chegada da Primavera com a bela imagem de um florido ipê rosa preservado junto à estação Conselheiro Nébias do VLT… [CPM]